quinta-feira, 16 de maio de 2013

ovo


     Pouco importa se o que veio antes foi o ovo ou a galinha, ele tinha dito então. O fato é que quando o pintinho sai, o ovo já não existe. E quando a galinha se forma, pouco da experiência de ser pintinho lhe resta na memória... Não há origem nenhuma! A verdade é que nós nunca superaremos nosso próprio nascimento. 
     E dizendo isso, todos avançaram sobre ele, arrancaram-lhe as penas, quebraram-lhe o pescoço e degolaram-no. E eu os encontrei mordiscando a pontinha de uma pena enquanto observavam o sangue do corpo pendurado de cabeça pra baixo cair, gota a gota, sobre uma bacia. Saí exasperado de lá, mas quando me virei para um último olhar, vi cascas de ovo sobre o chão. E percebi, chocado, que penas já me escapavam pelas mangas da camisa. Era tarde demais então: tinha cacarejado, e eles me viram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário