segunda-feira, 13 de maio de 2013

Mais-valia


     Tão doce, pensei, acariciando com o indicador meu nome que ele tinha escrito no copo – com “h”?, ele perguntou; tão gentil, pensei, saboreando nossa lembrança devagar para que nunca acabasse – com um pequeno acréscimo você leva o grande, ele disse –; tão romântico que só depois do último gole percebi, enjoado, que meu amor pelo jovem atendente apenas foi possível porque teve o preço excessivo de meio litro do meu amor próprio – vendido ou comprado?

Nenhum comentário:

Postar um comentário